terça-feira, 16 de agosto de 2011

Lasanha de Farinheira e de Morcela de Arroz

Bem, esta receita andava para ser feita desde que saíu na publicação do LIDL ("Dica da Semana") em 2009 (!!!). Até o Chefe Hernâni Ermida parece mais novo na fotografia da receita mas... isto foi só um reparo feito por piada...
Desta vez experimentei pela primeira vez as placas de massa frescas que neste caso eram 8 pelo que renderam 4 camadas.
Comecei por cozer num tacho com água a ferver, durante cerca de 15 minutos, duas farinheiras e uma morcela de arroz. Retirei-as do tacho e com uma tesoura de cozinha retirei-lhes a pele.
Noutro tacho, com um pouco de azeite no fundo, levei a refogar a morcela de arroz com duas colheres de sopa de espinafres picados congelados. Envolvi tudo e reservei.
Depois untei com um pouco de margarina o fundo de um tabuleiro de ir ao forno. Adicionei um pouco de molho béchamel e coloquei duas placas da massa no fundo.
Voltei a 'untar' as placas com molho béchamel e coloquei por cima uma das farinheiras.
Novamente coloquei duas placas de massa, untei com o béchamel e juntei a morcela de arroz com os espinafres.
Voltei a colocar duas placas de massa, novamente untadas com o molho, juntei a outra farinheira e 'tapei' com as restantes duas placas de massa fresca.
Envolvi e tapei tudo com o molho béchamel e eis que surge um problema: não tinha queijo ralado nem outro queijo que pudesse ser ralado. Sendo assim, e tendo em conta que o único queijo presente em casa era queijo às fatias, lembrei-me de o cortar às tiras e depois aos quadradinhos. Deitei este queijo por cima do molho béchamel e levei ao forno, préviamente aquecido, a 200º durante cerca de meia hora, até alourar/gratinar.
Esta Lasanha ficou muito boa e apetitosa mas um pouco "pesada", talvez devido aos enchidos ainda que cá por casa sejam uma espécie de 'perdição' mas consumidos com moderação...




domingo, 14 de agosto de 2011

Pastéis de Nata com aroma de Laranja

Vi esta receita de Pastéis de Nata num dos programas do Jamie Oliver que passa actualmente na SIC Mulher e que se chama "Em 30 Minutos com Jamie". Achei piada por ele se referir aos pastéis como uns deliciosos pastéis portugueses sendo que a receita é diferente da original e eu própria fiz estes pastéis à minha maneira.
Sendo assim, comprei no supermercado uma placa de massa folhada que vem enrolada em papel vegetal e é esta massa que aconselho para esta receita porque o papel vegetal dá jeito.
Abri a placa da massa e "borrifei-a" com canela. Voltei a enrolá-la com o papel vegetal para que a canela se 'entranhasse' na massa e depois enrolei-a já sem o papel vegetal. Com uma tesoura de cozinha cortei 12 pedaços da massa que ficaram como podem ver na primeira foto (e que renderam 12 pastéis de nata).
Depois, e com a ajuda do meu filho, achatei esses pedaços de massa por forma a serem colocados nas forminhas de ir ao forno (no caso usei de alumínio que untei previamente).
Levei ao forno a 200º durante 5 minutos e retirei do forno.
Entretanto fiz o recheio: envolvi num pacote de natas (200 ml) a raspa de uma laranja, três colheres de açúcar e uma colher de chá de aroma líquido de baunilha. Deitei o líquido dentro da massa e levei ao forno, também a 200º, durante 15 minutos.
Deixei arrefecer um pouco ainda dentro do forno desligado (cerca de 10 minutos) e retirei do forno para desenformar.
O aroma que percorria a casa era já o sinal de quão saborosos estavam os pastéis que comemos ainda quentes e com canela.
Ficaram óptimos, pouco doces, e com o aroma da Laranja. Melhor dizendo: ficaram deliciosos, muito perfumados e irresistíveis...
ADENDA EM 2011/08/16: Esqueci-me de indicar que o recheio leva também um ovo inteiro. Foi graças à observação da SANDRA e DINIS que reparei em tal facto pelo que peço as minhas desculpas pelo lapso.


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Gratinado de Salsichas Frescas com Massa e Courgette inspirado no programa "Em Forma na Cozinha - Cook Yourself Thin"

Esta receita foi inspirada num prato que vi no programa "Em Forma na Cozinha - Cook Yourself Thin" e é muito simples de fazer sendo que 'rende' um tabuleiro médio de ir ao forno.
Neste programa ensina-se a cozinhar de forma saborosa mas com menos calorias, até aqui tudo bem, e fazendo com que algumas semanas depois as 'donas-de-casa' a quem ensinaram as receitas tenham perdido peso.
Aqui entram as minhas dúvidas e criticas leves. Não é que não ache possível que se perca peso só por se cozinhar com menos gordura e calorias mas... para quem perdeu 26 quilos como eu, inacreditavelmente sempre a "comer de tudo" mas de forma regrada (reaprendi a comer), sendo acompanhada por uma excelente Nutricionista, sem medicação e afins, e fazendo muito exercicío físico, quando aparecem estas "receitas milagrosas" para se perder peso, fico sempre algo céptica e com dúvidas mas... passemos à receita propriamente dita que é deveras apetitosa.
Para a confecção desta receita utilizei 6 salsichas frescas brasileiras, metade de uma courgette grande cortada às rodelas, um frasco médio de feijão branco já cozido, massa a gosto (no caso utilizei macarrão pequeno) e queijo ralado.
Num tacho levei a refogar as seis salsichas sem a pele com a courgette. Não é necessária mais nenhuma gordura porque as salsichas depressam soltam líquido que serve para a sua cozedura. Temperei com um pouco de sal e deixei cozinhar durante cerca de dez minutos. Nessa altura juntei o feijão branco já cozido, mexi devagar para o feijão não se desfazer e deitei tudo num tabuleiro de ir ao forno.
Entretanto e noutro tacho tinha já cozido cerca de metade de um pacote de macarrão pequeno (+- 250 gramas de massa) que tinha reservado e escorrido a água.
Deitei a massa por cima do preparado das salsichas com a courgette e o feijão e por cima da massa deitei queijo ralado.
Levei ao forno a 180º durante meia hora e retirei quando o queijo derreteu e tudo ficou com um ar gratinado.
É muito bom, dá para duas refeições para dois adultos, um (quase) adolescente e uma criança pequena e fica saboroso e nutritivo.
Só tem a gordura das próprias salsichas e do queijo pelo que é uma forma diferente de levar as crianças a comerem feijão.



(as apresentadoras do programa "Cook Yourself Thin").

domingo, 7 de agosto de 2011

Frango assado com batatinhas no forno

Gosto muito de frango e tento sempre cozinhá-lo de forma diferente. No entanto, a forma mais habitual de cozinhar o frango cá por casa, e que toda a gente adora, é a receita de Frango no Forno que me foi passada pela minha mãe.
Ontem calhou a ter trazido um frango nas compras do supermercado e já estava a pensar fazê-lo da maneira "do costume" quando dei de caras com esta receita, que tem parecenças com a forma de fazer frango da minha mãe, mas que difere nalgumas coisas pelo que decidi experimentar e ficou óptimo.
No fundo de um tabuleiro de ir ao forno coloquei uma cebola grande cortada às tiras. Reguei com um pouco de azeite e por cima coloquei o frango e cerca de um quilo de batatas cortadas aos cubos (préviamente lavadas). Reguei as batatas com um fio de óleo e temperei-as com sal e colorau.
Em relação ao frango temperei-o com sumo de limão, reguei-o com um pouco de azeite e juntei sal, alho em pó, pimenta, colorau e louro. Adicionei ainda por cima do frango pequenas 'lascas' de margarina e um cubo de caldo de galinha também 'às lascas' bem como duas rodelas que sobraram do limão de onde retirei o sumo para o tempero do frango.
Levei ao forno a 200º durante 25 minutos para cada um dos lados do frango (total do tempo da cozedura: 50 minutos) indo mexendo e regando com o molho, de vez em quando, as batatas.
Ficou muito saboroso e apetitoso e deu para variar na forma de cozinhar o frango sendo  que assim se poupa tempo e trabalho em relação ao acompanhamento que é feito ao mesmo tempo que a comida.
Cá em casa toda a gente adorou e é para repetir sem sombra de dúvidas.


sábado, 6 de agosto de 2011

Delicious Miss Dahl...

Ainda estou a tentar perceber se gosto ou não dos programas culinários de Sophie Dahl que estão a passar no canal SIC Mulher. Da primeira vez em que vi um destes programas confesso que não gostei lá muito. A comparação foi inevitável e pensei logo que, ainda que ambas britânicas, Sophie Dahl não se comparava à Nigella Lawson de quem gosto tanto e de cujos programas tenho tantas saudades...
O outro factor 'comparativo' tem a ver com a vontade de experimentar e/ou fazer as receitas de Miss Dahl. Até ao momento não houve nenhuma receita que me apetecesse fazer 'frenéticamente' enquanto que da Nigella já experimentei fazer vários pratos e adorei todos.
Os programas da Nigella transportam-me para os cheiros e sabores das comidas mesmo tendo um ecrã a separar-nos. Já o programa da Miss Dahl parece que nem sempre "bate a bota com a perdigota". O programa é engraçado, está bem organizado mas a 'menina' parece estar a falar não sei para quem porque não olha para a câmara, ao contrário da Nigella. Vai buscar livros e poesia que parecem ser escolhidos de forma pouco profunda e continuo à espera duma receita que me inspire...
Enfim, apeteceu-me falar deste programa de culinária e quem sabe se num destes dias estarei aqui a postar uma receita da Miss Dahl que é muito simpática e bonita. Foi manequim e, segundo ela nos seus programas, já foi magra, já foi gorda, já esteve "mais ou menos" e adora comer.
Mas... quem não adora fazê-lo...

Bolo de Banana

Numa tarde de Verão chuvosa só estava a apetecer fazer um bolinho como que a lembrar os dias de Outono em que chuvisca durante a tarde.
Depois de procurar decidi fazer este bolo inspirada numa receita da Revista "Segredos de Cozinha", n.º 1340, de 27/06/2011.
Numa tigela bati e envolvi 250 gramas de manteiga com 3 colheres de sopa de açúcar, 5 ovos inteiros, a raspa de um limão, 300 gramas de farinha e 1 colher de chá de fermento.
Numa forma rectangular untada com manteiga coloquei papel vegetal que também untei. No fundo da forma e sobre o papel vegetal espalhei açúcar e coloquei uma banana cortada ao meio no sentido longitudinal.
Adicionei a massa e alisei tudo colocando mais uma banana partida ao meio. Coloquei o resto da massa, alisei novamente e levei ao forno a 200º durante 40 minutos e mais 10 minutos a 175º. Apaguei o forno e deixei o bolo arrefecer durante cerca de meia hora.
Retirei o bolo, desenformei-o e barrei com um pouco de doce/geleia de pêssego mas pode ser de qualquer sabor de que gostemos e/ou se tenha em casa.
Ficou muito apetitoso mas confesso que para a próxima farei este bolo sem as bananas e/ou com outra fruta. Fiz este bolo a pensar nas crianças cá de casa porque eu não gosto lá muito da banana em bolos...


sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Bifes de Perú enrolados com Morcela e Alface

Para fazer esta receita fui buscar inspiração à Revista "Segredos de Cozinha", n.º 1340, de 27/06/2011.
Comprei 7 bifes de Perú que temperei com sal e pimenta. Em cima de cada bife coloquei uma folha de Alface e uma rodela da morcela (no caso, uma das minhas morcelas preferidas: de arroz) préviamente cozida. Enrolei e prendi cada um dos bifes de Perú com um palito.
Num tabuleiro de ir ao forno coloquei um pouco de azeite no fundo e por cima dispus os bifinhos de Perú enrolados. Deitei um pouco de vinho branco por cima e juntei 2 dentes de alho e uma cebola pequena - tudo picado. Juntei ainda tomate aos pedaços (usei uma lata pequena de tomate aos pedaços) e levei ao forno durante meia hora a 200º.
Na receita original recomendam que no final da cozedura dos bifes se triture o molho mas cá por casa optámos por comer assim, com tudo 'inteiro' e soube muito bem. Os bifinhos de Perú ficaram muito apetitosos e a morcela no meio deu um sabor diferente e aconchegante.
Acompanhámos com Puré de Batata.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Tarte Cremosa de Maçã

Retirei esta receita da revista "Segredos de Cozinha - Guia Semanal de Culinária", n.º 1343, de 18/07/2011 e devo dizer que ficou muito boa até porque foi a primeira vez que fiz a base duma Tarte com bolacha.
Ainda assim a tarte ficou algo líquida nas primeira horas porque não utilizei as 5 folhas de gelatina recomendadas na receita original mas depois de um dia no frigorífico ficou uniforme e 'rija'.
Posto isto, e para fazer a base da tarte é necessário moer cerca de 300 gramas de bolacha maria à qual juntamos 175 gramas de manteiga derretida. Devemos amassar tudo muito bem e reservar.
Numa forma com aro (com cerca de 22 cms de diâmetro) devemos colocar à volta uma tira de papel vegetal e depois deitar a base no fundo calcando com a mão.
À parte, e para o recheio, bater 200 ml de natas (um pacote) e reservar.
Levar ao lume 6 maçãs cortadas aos bocadinhos com 2 colheres de sopa de manteiga e 1 colher de chá de canela. Ir mexendo até a fruta cozer mas sem se desfazer. Deitar metade deste preparado por cima da base e reservar.
Noutro tacho levar ao lume 1 lata de leite condensado, 3 gemas e a raspa de um limão. Ir mexendo sempre até ferver e retirar do lume. Envolver com as natas batidas e verter esta mistura sobre os cubos de maçã  que já estavam sobre a base.
Deitar o resto das maçãs com canela por cima do creme e levar ao frigorífico para 'solidificar' e ficar fresco.
Ficou uma tarte muito gulosa e apetitosa.


quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Lasanha de Pescada, Camarão e Delícias com Espinafres

Já há muito tempo que não fazia Lasanha cá por casa e ao ver esta receita de Lasanha de Salmão, Camarão e Espinafres no blog da Sónia Meirinho foi a 'desculpa' para meter mãos à obra.
Como cá em casa, com grande pena minha, ninguém gosta de Salmão (incluindo eu própria), decidi fazer a Lasanha com Pescada, Camarão, Delícias e um bocadinho de Espinafres.
Untei com um pouco de margarina o fundo de um tabuleiro médio onde depois coloquei quatro placas de Lasanha (comprei uma embalagem) e um pouco de molho béchamel (de compra) a 'barrá-las'.
Por cima juntei Pescada préviamente cozida e desfiada (utilizei seis lombos de Pescada), um pouco de miolo de camarão também cozido e algumas delícias.
Voltei a colocar molho béchamel e coloquei mais quatro placas por cima que untei novamente com molho béchamel e voltei a repetir ao colocar Pescada, miolo de Camarão e Delícias. Desta vez juntei um pouco de espinafres.
Repeti tudo e terminei com as placas da Lasanha no topo que foram cobertas com molho béchamel e queijo mozzarella ralado.
Levei ao forno a 175º durante cerca de meia hora e quando o queijo gratinou a Lasanha estava pronta.
Ficou muito saborosa e deu para três refeições.


terça-feira, 2 de agosto de 2011

Tiramisú (sem brandy)

Para mim o Tiramisú era uma sobremesa complicada que só "existia" nos restaurantes e que, devido ao facto de na minha cabeça ser algo elaborado de confeccionar, nunca tinha experimentado a fazer.
Não sei porquê decidi "investigar" esta receita e qual não foi o meu espanto quando constato que afinal é um doce mais que fácil de fazer, sendo apenas necessário reunir todos os ingredientes e instrumentos necessários antes de se deitarem as mãos à obra.
Para esta receita fui buscar inspiração aqui onde está também um video da confecção da receita
Assim, para um Tiramisú que preencheu uma travessa média precisei de:
  • 350g de palitos 'la reine',
  • 600g de queijo mascarpone (utilizei 500 gramas pois no supermercado só havia duas embalagens de 250 gramas cada). 
  • 6 ovos (utilizei 8),
  • 180g de açúcar,
  • 0,5 lt de café,
  • 2 colheres de sopa de açúcar,
  • 90 ml de brandy (eu não utilizei porque sabia que este doce iria ser comido por crianças e tive algum receio de incluir uma bebida alcóolica).
  • Cacau em pó q.b. (usei cacau magro).
Parti os ovos e separei as gemas das claras.
Juntei os 180g de açúcar às gemas e bati até ficar uma gemada esbranquiçada. Adicionei o queijo e bati tudo até ficar um creme liso.
Depois, à parte, bati as claras em castelo e envolvi-as no preparado anterior.
Numa tigela juntei as duas colheres de sopa de açúcar e o café e misturei tudo.
Passei os palitos 'la reine' pelo café e espalhei metade dos palitos no fundo de um tabuleiro rectangular.
Por cima, espalhei metade do creme.
Com a ajuda de um passador de rede, espalhei um pouco de cacau por cima.
Por cima, voltei a repetir o processo, com os restantes palitos 'la reine' embebidos em café.
Por cima, espalhei a outra metade do creme.
Por fim, polvilhei com o cacau.
Levei ao frigorífico de um dia para o outro e ficou muito fresquinho e pronto a servir.
Foi uma agradável surpresa para um doce que fiz pela primeira vez porque ficou muito apetitoso e saboroso.
Peço desculpas por não ter uma fotografia do interior do doce mas quando o parti não tinha a máquina comigo e a foto tirada com o telemóvel ficou "tremida".


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...