domingo, 31 de outubro de 2010

Filhoses de Abóbora da minha mãe

Lembro-me sempre da minha mãe fazer estas filhoses no Natal e eu nunca as fiz porque acho que me sabem muito bem por ser a minha mãe quem as faz.
Neste fim-de-semana prolongado, e aproveitando o facto de nos terem dado uma abóbora, pedi à minha mãe que fizesse estas filhoses de abóbora, e assim foi.
O cheirinho dos fritos e da canela e do açúcar invadiram a casa e as filhoses vieram aconchegar o estômago nesta tarde chuvosa e de vento.
Para cerca de 20 filhoses a minha mãe usou:
- 300 g de abóbora (limpa),
- Sumo de duas laranjas,
- 2 colheres de sopa de aguardente,
- 200 g de farinha com fermento,
- 1 colher de chá de fermento em pó
- 4 ovos,
- óleo para fritar,
- canela em pó e açúcar para polvilhar.
A minha mãe começou por cortar a abóbora em pedaços pequenos que colocou num tacho e levou a cozer em água com um pouco de sal.
Depois da abóbora estar cozida, escorreu a água, triturou a abóbora e adicionou a aguardente, o sumo das laranjas, a farinha e o fermento, de uma só vez batendo energicamente com uma colher de pau.
Sem parar de bater, adicionou os ovos, um a um e bateu a massa até esta ter absorvido completamente os ovos. 
Deixou a repousar cerca de 4 horas.
Para fritar, com a ajuda de uma colher de sopa, retirou colheradas da massa e fritou em óleo quente e deixou fritar até ficarem bem douradinhos e crescidos. Escorreu sobre papel absorvente e  depois passou as filhoses por uma mistura de açúcar e canela em pó.
Estão tão boas que só apetece é continuar a comê-las durante a tarde...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Gratinado de Rigatoni

Fiz esta receita para aproveitar alguns restos que tinha no frigorífico e que não eram suficientes para uma refeição em família.
Assim sendo, desfiei metade de um frango que tinha feito no forno com as ervas aromáticas da Maggi e três fatias grandes de um resto de carne assada que também tinha feito. Levei tudo ao lume com os molhos que ainda tinham, tendo adicionado uma courgette cortada às rodelas e uma lata de cogumelos laminados. Juntei um pouco de leite para fazer um pouco de molho e reservei.
À parte cozi a massa, no caso Rigatoni mas podia ser outra qualquer, e fiz o molho béchamel que tinha visto num programa da Nigella.
Quando tudo estava pronto, deitei a massa cozida num tabuleiro de ir ao forno, por cima coloquei o refogado com os "restos", a courgette e os cogumelos e por cima deitei o molho béchamel que espalhei por cima de tudo. Deitei ainda por cima do molho béchamel um pouco de pão ralado com alho e salsa e levei ao forno a gratinar durante meia hora a 200º.
Ficou super apetitoso e foi uma forma (algo trabalhosa, confesso) de aproveitar restos que tinha guardados no frigorífico. E ainda rendeu um tabuleiro médio que teria dado, à vontade, para seis pessoas. Como éramos dois adultos e uma criança, sobrou imenso que dará para outra refeição.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Molho Béchamel ultra rápido da Nigella

Vi esta forma de fazer o molho béchamel num dos programas da Nigella e logo me chamou a atenção porque me pareceu muito mais simples e descomplicado de fazer do que a forma tradicional de cozinhar este molho, tal como eu já tinha referido e feito aqui.
Assim, e sem recorrer muito a medidas, coloquei num tacho metade duma embalagem de margarina (cerca de 250 gramas) que começou a derreter e acrescentei uma caneca de farinha. Fui mexendo e envolvendo tudo e quando ficou uma espécie de pasta adicionei leite, não sei bem quanto, por forma a que envolvesse tudo e cozinhasse durante 5 minutos em lume baixo. Fui mexendo e envolvendo tudo, o molho engrossou e nem sinal dos grumos da farinha. Ficou tudo envolvido, temperei com um pouco de sal e de noz moscada, o molho ficou realmente denso e estava pronto a usar.
Que forma tão fácil e rápida de confeccionar o molho béchamel, usado em tantos pratos e cozinhados...

domingo, 24 de outubro de 2010

Polvo à Lagareiro

Suponho que existam as mais variadas versões desta receita e não tendo eu uma tradição familiar em relação ao Polvo, restou-me fazer diversas pesquisas até porque a minha primeira "aventura" a cozinhar Polvo aconteceu neste Verão, fazendo uma Salada.
Comecei por comprar um Polvo limpo com cerca de 1,200 Kg que cozinhei, já descongelado, durante uma hora em lume médio/forte. Juntamente com o Polvo coloquei uma cebola que retirei após a cozedura.
Enquanto o Polvo cozia aproveitei para descascar e partir grosseiramente uma cabeça de alhos e uma cebola média. Piquei ainda um molho de coentros e reservei tudo.
Entretanto lavei muito bem dez batatas pequenas/médias (foram demais, cinco teriam chegado...) e levei-as a cozer, com casca, durante 10 minutos.
Quando o Polvo cozeu retirei-o da água da cozedura e parti-o aos pedaços.
Entretanto reguei um tabuleiro com um pouco de azeite e coloquei no meio o Polvo préviamente partido. À volta coloquei as batatas e por cima do polvo deitei os alhos, a cebola e um pouco dos coentros. Deitei um pouco de sal por cima das batatas e reguei tudo com azeite.
Levei ao forno durante 40 minutos a 250º e por fim deixei cozinhar 5 minutos no grill. Ficou deveras apetitoso, guloso e saboroso, tendo em conta que foi a primeira vez que cozinhei este prato. Basta ver que não sobrou nada do Polvo, ainda que tenha encolhido, porque o meu marido repetiu três vezes :)
No entanto, é algo trabalhoso porque até colocar tudo no forno requer alguma preparação que demora algum tempo.
É um cozinhado bom para se fazer nos fins-de-semana mais fresquinhos e/ou de chuva em que não saímos tanto de casa, tendo por isso mais tempo disponível para a cozinha...

domingo, 17 de outubro de 2010

Bacalhau Gratinado com Tomate e Batatinhas a murro

Fui buscar inspiração para este prato a uma receita do Pingo Doce mas tentei simplificar alguns passos pelo que deixo aqui a minha versão mas podem ler a receita completa e original aqui.
Assim, levei a refogar em azeite duas cebolas médias e três dentes de alho a que juntei uma embalagem de 400 gramas de Bacalhau desfiado bem como uma posta desfiada que me tinha sobrado de outra refeição.
Temperei com pimenta branca e um pouco de noz moscada e deixei refogar um pouco. Adicionei posterioremente uma lata pequena de tomate aos pedaços, azeitonas pretas (a gosto) e temperei com oregãos.
Deixei cozinhar em lume médio durante cerca de vinte minutos.
Depois, numa travessa de ir ao forno, coloquei no fundo uma courgette cortada às rodelas e por cima deitei o preparado com o Bacalhau que levei a gratinar ao forno, a 200º, durante meia hora.
Acompanhei com batatas a murro e para isso lavei as batatas (pequenas) e envolvi-as com sal. Coloquei-as num tabuleiro e levei-as ao forno ao mesmo tempo que o bacalhau mas quando passaram cerca de vinte minutos, retirei-as e espalmei-as, levando-as ao forno ainda mais dez minutos.
Ficou muito apetitoso e é mais uma forma de cozinhar e comer Bacalhau.

sábado, 16 de outubro de 2010

Compota de Maçã e Canela

Tendo o meu marido chegado a casa com um saco cheio de maçãs, dadas por um amigo seu, pus-me logo a pensar que receitas poderia fazer com as maçãs, para além de fazerem parte do meu lanche a meio da manhã e a meio da tarde, porque são imensas e não queria nada que se estragassem.
Assim, decidi experimentar e fazer a minha primeira compota, no caso Compota de Maçã e Canela, dois sabores que adoro, e cuja receita fui encontrar aqui.
Assim sendo, coloquei num tacho um quilo de maçãs limpas e descascadas, juntamente com um quilo de açúcar, uma colher de chá de canela em pó, um pau de canela e 150 ml de água.
Levei tudo ao lume e assim que começou a ferver, reduzi o lume para o mínimo e deixei cozinhar durante uma hora.
Ao fim desse tempo, retirei o pau de canela e triturei as maçãs com a varinha mágica.
Levei novamente a lume brando até o doce secar um pouco mais e deixei cozinhar durante mais vinte minutos.
Retirei do lume e a compota estava pronta depois de a deixar arrefecer. Coloquei num frasco mas entretanto provei com tostinhas porque neste tempo mais fresco sabe mesmo bem com uma chávena de chá.

domingo, 10 de outubro de 2010

Não fui eu que cozinhei este pão...

Mas não resisti em colocá-lo aqui de tão bom que estava. Foi feito na zona do Oeste, de forma artesanal, é vendido apenas por encomenda, e chegou a casa a fumegar.
Um pão grande e outros compridos com chouriço que estavam uma maravilha tanto no sabor como pelo facto de estarem acabados de sair do forno.
Soube mesmo bem comer este pão, que nos aqueceu, acompanhado por uma chávena de chá nesta tarde chuvosa e fresca...
:)

sábado, 9 de outubro de 2010

Lombos de Pescada no Forno com delícias, camarão e molho béchamel

Acho que já coloquei aqui esta receita há uns anos mas como não a estou a encontrar e para me "redimir" da minha ausência bem como da falta de novas receitas, decidi colocar aqui este prato que faço frequentemente porque cá em casa toda a gente adora, principalmente o filhote.
Costumo fazer esta receita com seis lombos de pescada que levo ao lume, em azeite, temperados com sumo de limão, sal, alho em pó e um pouco de pimenta. Quando refogam os lombos, junto um pouco de leite para cozerem um pouco bem como alguns legumes da mistura de legumes congelados que compro no Pingo Doce e cerca de 250 gramas de miolo de camarão. Deixo cozinhar um pouco e quando o molho está quase a secar, junto cerca de 8 delícias do mar mais um pouco de leite. Envolvo tudo devagar para que as delícias não se partam muito e junto um pacote de batata frita palha (250 gramas) que já tem bastante sal pelo que é necessário algum cuidado no sal que se vai colocando nos lombos e depois quando se adicionam os legumes (também podiam ser apenas espinafres), o camarão e as delícias.
Envolvo tudo novamente e deito um pouco de molho béchamel para tornar toda a mistura mais macia e homogénea. Quando está tudo envolvido, deito o preparado numa travessa de ir ao forno e coloco o restante molho béchamel por cima por forma a que cubra tudo.
Coloco ainda por cima do molho um pouco de pão ralado com salsa e alho e levo a gratinar ao forno durante 20 minutos a 250º num forno préviamente aquecido.
Fica muito apetitoso, é muito 'fácil' de comer e creio que é por isso que o meu filho adora este prato...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...